tempo-de-despertar-mediunidade Resolvi falar sobre esse assunto pois noto que ainda existem muitos conceitos pré-concebidos quando falamos em mediunidade. O que é ser médium? O que ele faz?

A primeira coisa que as pessoas perguntam para mim é: Você vê gente morta? Você ouve? Você lê a sorte? Como está minha aurea? Tem alguém morto aqui?

Escrevo este texto no intuito de ajudar meus colegas sensitivos que ainda não conseguiram se assumir e sanar a curiosidade das pessoas em geral.

 

Primeiramente quero contar um segredo….

TODOS NÓS SOMOS MÉDIUNS!!!!

Eu, você e a pessoa ao seu lado também. A diferença é simplesmente o grau de abertura para comunicação com o outro lado, ou com o que há de sutil.

Mediunidade nada mais é do que você perceber e estipular uma conexão através dos seus sentidos, com energias não visíveis a olho nu. Entretanto não é porque você não a vê, que ela não existe! Se fosse assim como você falaria ao celular ou assistiria televisão? A eletricidade e as ondas eletromagnéticas estão lá, e você não pode vê-las, mas sabe e não duvida que elas existem. Então porque duvidar da mediunidade, sendo que a mesma acontece por conexões energéticas também?

Todos nós possuímos os mesmos sentidos, os mediúnicos somente precisam ser exercitados. Da mesma forma que não há como comparar o desempenho de um corredor atleta em uma maratona, com o desempenho de uma pessoa comum. O atleta treinou e treina a muito tempo para obter os resultados dele, é natural que o mesmo possua uma desenvoltura melhor que uma pessoa comum.

Obviamente existem pessoas que vieram com a mediunidade já aberta, precisando somente de um pouco de prática, domínio e lapidação, são os que chamamos de possuidores de missão. Da mesma forma que algumas pessoas vieram a este mundo para salvarem vidas, se tornando médicos, outros para trazerem alegria, sendo comediantes, uns vieram ao mundo para trazer luz, os médiuns. Todos nós viemos com as ferramentas necessárias para desempenharmos o papel que viemos exercer.

Na verdade, nós os sensitivos ou médiuns somos canais de luz, nos colocamos a disposição do que é Divino, este é o nosso trabalho e não precisamos ser temidos ou vangloriados por isso.

É natural que as pessoas tenham medo do que não conhecem, entretanto asseguro-lhes que você exerce sua mediunidade todos os dias também e não tem medo de si próprio!

Quantas vezes você não teve um sonho que se tornou real, uma premonição, uma intuição para fazer ou não fazer algo, ouviu uma voz dentro de si que te salvou de algo ou te ajudou demais? Essas são pequenas facetas da mediunidade, porque a mediunidade simplesmente é se conectar com a energia maior e ter acesso a informações de uma consciência expandida.

Quanto mais exercitamos este lado tido como místico, mais nos empoderamos de quem realmente somos e colocamos nossa mente a serviço do nosso Ser. Infelizmente vivemos em uma situação inversa, onde nossa mente controla quem somos e nos distancia do Todo, nos privando de toda energia criativa e materializadora que possuímos quando estamos em contato com a nossa fonte maior.

Ser médium inclui ter as ferramentas necessárias para isso, tidas como “diferentes”, como ver quem não está mais neste plano, ter insights do futuro, dar passes, curar doenças entre outras coisas, mas isto só se torna possível porque nos permitimos estar ligados a energia Maior, nos permitimos ser o canal para semear mais luz neste planeta e fazer com que todos a nossa volta entendam que podem fazer o mesmo. Este é o verdadeiro significado de ser médium, somos trabalhadores da luz, nossa função é ajudar no despertar da consciência coletiva humana para vivermos em um mundo transformado e melhor. Somos pessoas comuns como qualquer outra, uns pintam, outros jogam, outras salvam, outros iluminam! Viva a diversidade!